Skip to main content
Minha SacolaFechar Sacola

UAU, isso até parece papo de vampiro, só que não!

Se você acha que já viu de tudo quando o assunto é skincare, dá uma repensada e leia esta matéria.

O buzz que está agitando o universo da beleza é o skincare com o próprio sangue! Isso mesmo, aquele líquido vermelhinho que corre nas nossas veias, que vampiros a-do-ram, então… né, o plasma do próprio sangue. 

Mas peraí, como assim? E será que é realmente uma maravilha ou só uma moda passageira?

Bem, vamos dar um mergulho nesse plasma e entender um pouco sobre como esse skincare funciona. 

E repetindo o título, porque além de inusitado o estranhamento é tamanho, vamos lá…

Skincare com o próprio sangue, como isso é possível?

Vamos começar pincelando a história…

Para quem acha que usar sangue no tratamento de beleza é algo recente, enganou-se! Essa crença sobre o sangue e seus poderes de cura misteriosos vem de séculos. 

Se Drácula acreditava que beber sangue rejuvenesce… pura inspiração! O negócio vai tão longe que dizem até que na Roma Antiga os doentes eram aconselhados a beberem o sangue dos gladiadores mortos em suas lutas, que isso tinha poder de cura. Eu, hein!

Sabe-se de testes realizados pela Universidade de Stanford com o objetivo de analisar a melhora em pacientes com sinais de Alzheimer. 

Enfim… olha só, através do tempo – fato ou mito – a crença foi mantida e aprimorada. 

E hoje?

Atualmente, também conhecido como  skincare vampiresco, lifting de vampiro, terapia de plasma rico em plaquetas ou PRP (nomenclatura técnica), o skincare como próprio sangue é um tratamento que tem ganhado cada vez mais atenção de celebridades e entusiastas da beleza. 

A ideia parece simples, ainda que soe um tanto quanto bizarra à primeira vista: é retirada uma quantidade do seu sangue (não precisa ser o suficiente para você se sentir mal ou desmaiar, rsrsrs) e, depois, aplicado o plasma (a parte líquida do seu sangue) na sua pele.

A galera que apoia essa tendência não para de falar sobre os benefícios. Dizem que esse tratamento pode estimular a produção de colágeno, que é a proteína que mantém a pele firme e jovem, sendo também creditado a ele a capacidade de reduzir rugas, melhorar a textura da pele e até mesmo diminuir manchas escuras. 

Parece uma solução mágica para o rejuvenescimento, não é mesmo?!

Já há algum tempo, algumas celebridades nacionais e internacionais recorrem a este tratamento, entre outras, temos: Kim Kardashian,  Luciana Gimenez, Renata Banhara, Kelly Key e a Anitta, que tem agitado as redes sociais por conta do procedimento estético com o próprio sangue, dizem que é maravilhoso. 

Aliás, Anitta tem um creme só dela, feito como o próprio sangue, para uso diário, que segundo ela, tem um cheirinho nada agradável. E a repercussão tem sido tão grande, que resolvemos trazer aqui um pouco mais de informação pra você.

O passo a passo é curioso!

Agora, você deve estar se perguntando como é que isso tudo acontece, certo? Relaxa, a gente explica! 

Passo 1: Coleta do sangue

Primeiro, um profissional de saúde vai coletar uma pequena quantidade de sangue de você, o suficiente para o procedimento. 

Geralmente, é retirada uma quantidade semelhante àquela para exames de rotina, sabe? 

Passo 2: Centrifugação

Após a coleta do sangue, ele é colocado em um tubo especial e passa por um processo de centrifugação.

Ou seja, esse sangue é então colocado numa centrífuga, uma máquina que gira rapidamente para separar o plasma e as plaquetas das outras partes do sangue. 

Com a centrifugação, as plaquetas e o plasma ficam concentrados em uma parte específica do tubo.

Passo 3: Coleta do plasma rico em plaquetas

Após a centrifugação, o plasma rico em plaquetas é cuidadosamente coletado. Esse plasma é cheio de fatores de crescimento e proteínas que são conhecidos por estimular a regeneração e a reparação dos tecidos.

Passo 4: Aplicação na pele

A parte empolgante vem agora! 

O plasma rico em plaquetas, que contém todas essas substâncias benéficas, é aplicado na pele da pessoa. 

Isso pode ser feito de diferentes maneiras, dependendo da preferência do profissional de saúde e das áreas que você deseja tratar. 

Pode ser aplicado através de injeções pontuais ou usando técnicas como microagulhamento, em que pequenas agulhas fazem microperfurações na pele para facilitar a absorção do plasma. Caracaaaaaa!

Passo 5: Estímulo da regeneração

O plasma também é muito rico em fatores de crescimento que podem estimular a produção de colágeno, melhorar a circulação sanguínea e promover a regeneração dos tecidos. Isso pode resultar em uma pele mais firme, suave e jovem ao longo do tempo.

Passo 6: Resultados e cuidados posteriores

É importante lembrar que os resultados não são imediatos. A regeneração da pele leva tempo, e dizem que as melhorias são graduais ao longo de várias semanas ou até meses. 

Além disso, pode ser recomendado seguir cuidados pós-tratamento, como proteger a pele do sol e manter uma rotina de skincare adequada, para otimizar os resultados.

O processo pode variar ligeiramente dependendo das práticas do profissional de saúde e das tecnologias utilizadas, inclusive das suas características próprias em seu tratamento, mas em geral, é assim que o skincare com o próprio sangue funciona. 

Agora, a pergunta que não quer calar: será que isso tudo é realmente eficaz ou é só mais uma moda passageira? 

A verdade é que, apesar de algumas evidências promissoras, a pesquisa sobre os benefícios do PRP para a pele ainda está em desenvolvimento. 

Alguns estudos sugerem melhorias na textura da pele e na produção de colágeno, mas os resultados podem variar de pessoa para pessoa.

O assunto tem gerado muitos debates e opiniões divergentes entre a comunidade médica e a de beleza.

Vamos então conhecer os principais prós e contras.

Prós do skincare com o próprio sangue

👍Estímulo do colágeno: o plasma rico em plaquetas contém fatores de crescimento que podem estimular a produção de colágeno na pele. O colágeno é essencial para manter a pele firme e elástica.

👍Melhoria na textura da pele: alguns estudos e relatos de pacientes sugerem que o PRP pode melhorar a textura da pele, tornando-a mais suave e uniforme.

👍Tratamento de cicatrizes e manchas: há evidências de que o PRP pode ajudar a reduzir a aparência de cicatrizes e manchas escuras, possivelmente devido aos fatores de crescimento presentes no plasma.

Contras do skincare com o próprio sangue

👎Resultados variáveis: a eficácia do PRP pode variar de pessoa para pessoa. Alguns indivíduos podem ver resultados notáveis, enquanto outros podem não notar mudanças significativas.

👎Falta de evidências conclusivas: apesar dos relatos positivos, há uma falta de evidências científicas sólidas que comprovem os benefícios do PRP para a pele. 

Muitos dos estudos realizados são pequenos e não controlados, o que dificulta tirar conclusões definitivas.

👎Necessidade de múltiplas sessões: para alcançar resultados significativos, geralmente, são necessárias várias sessões de tratamento, o que pode ser inconveniente e dispendioso para algumas pessoas.

👎Custo elevado: o tratamento com PRP pode sair bem caro, especialmente quando comparado a outras opções de cuidados com a pele.

Se é de fato eficaz ou uma moda passageira, só o tempo dirá!

Em última análise, como podemos notar, a eficácia do skincare com o próprio sangue ainda é um tema de debate e pesquisa contínuos. 

E, segundo especialistas, “este procedimento pode, sim, ter seus riscos, como infecção e transmissão de doenças.” O uso do próprio sangue para tratamento da própria pessoa não apresenta rejeição.

5 Dicas de milhões para quem quer se jogar nessa tendência

Se a curiosidade está aguçando você e se estiver pensando em dar uma chance a esse tratamento, aqui vão 5 dicas bem basiquinhas e vitais:

💟Faça a sua pesquisa: antes de mergulhar de cabeça, pesquise sobre os profissionais qualificados e confiáveis que oferecem o tratamento.

💟Tenha expectativas realistas: não espere resultados imediatos ou milagrosos, pois a pele precisa de tempo para responder aos tratamentos e isso pode variar de pessoa para pessoa.

💟Proteja sua pele e privacidade contra curiosos: é superlegal experimentar novas tendências de beleza, mas lembre-se sempre de colocar a sua saúde em primeiro lugar. Curiosos prejudicam a sua saúde e privacidade. 

💟Consulte um profissional: converse com um dermatologista antes de embarcar nessa aventura. Apenas profissionais qualificados para tal procedimento podem dar orientações personalizadas e baseadas no seu tipo de pele e histórico médico. 

E, juntos, poderão pensar e pesar cuidadosamente os possíveis prós e contras de suas metas e possibilidades individuais.

💟Importante: não se esqueça jamais que a sua saúde e bem-estar vêm em primeiro lugar. Faça escolhas conscientes e confie sempre em profissionais qualificados para orientá-lo(a) no caminho da beleza e do autocuidado. Evite interferências inadequadas e indesejadas.

E depois, para quem optar por fazer, como continuar cuidando?

Primeiramente, deve seguir os conselhos do especialista, à risca.

Depois de todo esse tratamento, e de ter seguidos os conselhos pós-aplicação, adote produtos de real qualidade em sua pele, para uma rotina perfeita de cuidados.

A BASH, por exemplo, tem produtos dermatologicamente testados, anti-idade, antioxidantes, hidratantes, sem parabenos, veganos, com vitamina E, tudo cruelty free, ou seja, não testados em animais. 

Ainda por cima, é uma marca de beleza com produtos que funcionam de verdade, que apoia e garante a sua liberdade de ser. 

Olha só que incrível!

Concluindo…

Amoreeee, cuidados estéticos e manter a beleza da pele é uma jornada cheia de surpresas e reviravoltas, e o skincare com sangue certamente adiciona um toque de mistério ao processo. 

Embora o conceito possa parecer estranho à primeira vista, não podemos negar que a indústria da beleza está sempre buscando maneiras inovadoras de nos manter radiantes. Concorda?!

Se você está a fim de experimentar e acredita que os benefícios potenciais valem a pena, vá em frente nessa aventura vampiresca (rsrsrs) para conquistar uma pele deslumbrante, mas não deixe de considerar as diquinhas que dei, acima!

Ainda há muita desinformação por aí, portanto, todo cuidado ainda é pouco, hein!!!

Por isso, cabe mencionar, ainda que repetitivamente, a explicação do Dr. Lucas Miranda, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), em entrevista ao site da CNN Brasil

“O procedimento faz parte de uma linha da medicina chamada Medicina Regenerativa e há um movimento para sua consolidação como especialidade médica reconhecida no Brasil. 

Isso ainda é algo experimental e em fase de avaliação pelos órgãos reguladores”. Ou seja, o procedimento estético ainda experimental no Brasil, não é regulamentado pelo Conselho Federal de Medicina ou pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Deixe um comentário

Lista de espera Informaremos quando o produto estiver disponível!